Artigos O PLANETA MARTE VISTO POR RAMATÍS E MARIA JOÃO DE DEUS

 

RAMATÍS E A MÃE DE CHICO XAVIER DESCREVEM O PLANETA MARTE

Maria João de Deus, mãe de Chico Xavier, ditou a ele a obra “Cartas de Uma Morta” (Ed. LAKE). Nela, as descrições de sua viagem em espírito ao Planeta Marte coincidem ponto por ponto com as de Ramatís, em “A Vida no Planeta Marte”, ditado a Hercílio Maes (Ed. do Conhecimento). Comparemos:
“É uma afirmativa audaciosa dizer-vos que pude ver o planeta Marte. A verdade, porém, tem igualmente as suas revelações pelos caminhos da fé. Dia virá que os homens hão de verificar a veracidade de nossas afirmativas.
Não pude fazer sozinha uma excursão dessa natureza. O guia de sempre (Emmanuel) conduzia meus passos”. (Maria João de Deus)

M.J.D; “Vi-me à frente de um lago maravilhosa, junto de uma cidade, formada de edificações profundamente análogas às da Terra.”

RAMATIS; É no campo decorativo e no mobiliário (das residências) que os terrícolas mais se aproximam dos Marcianos, dando-se o mesmo com os edifícios públicos. Os edifícios escolares são algo semelhante às últimas edificações escolares do vosso mundo.

M.J.D. “A vegetação era ligeiramente avermelhada.”

RAMATIS; A vegetação é ligeiramente avermelhada. Quando tenra, apresenta matizes de verde-azulado, com gradações da cor alaranjada e sinais primários do vermelho. Em fins do outono atinge a coloração castanho-avermelhada.

M.J.D; “As flores e os frutos particularizavam-se pela variedade de cores e de perfumes”

RAMATÍS; Nas exposições florais a ciência marciana expõe as suas maravilhosas composições. Os visitantes gozam momentos de extasiante júbilo espiritual ante a riqueza de cores, perfumes e formas prodigiosas, que recordam as paisagens edênicas. Conseguiram a “luz vegetal”, produzida pelas flores, à noite lembrando cenários de um conto de fadas. Os frutos mais preciosos são verdadeiros invólucros de caldo saboroso, de aveludada carne vegetal, concentrada, nutritiva, odorante. Há tipos que deixam no paladar a sensação de penetrante magnetismo eufórico.

M.J.D; “Percebi, perfeitamente, a existência de uma atmosfera parecida com a da Terra, mas o ar, na sua composição, afigurava-se muitíssimo mais leve. Assegurou-me então o Mestre que me acompanhava que a densidade em Marte é sobremaneira mais leve, tornando-se a atmosfera muito rarefeita”.

RAMATÍS; A atmosfera de Marte é semelhante à da terra, embora mais rarefeita, bastante tênue para os vossos pulmões.

M.J.D; “Vi homens mais ou menos semelhantes aos terrícolas, mas os seus organismos possuíam diferenças. Além dos braços, tinham ao longo das espáduas ligeiras protuberâncias à guisa de asas que lhes prodigalizavam interessantes faculdades volitivas”.

RAMATÍS; Seus corpos são de carne similar a vossa, mas de qualidade mais delicada. Realizam vôos acrobáticos, lentos e extensos, pois as protuberâncias ou pequenas membranas que o marciano possui, do ombro ao cotovelo, facultam-lhe, na descida dos saltos, pousarem no solo como a pétala de uma flor descendo num vento brando.

M.J.D; “Percebi que a vida da humanidade marciana é mais aérea.”

RAMATIS; Três quartas partes do movimento é feito pelo ar, mediante aeronaves de absoluta segurança, o trafego sobre o solo e o transito pedestre constitui, apenas, uma quarta parte do movimento global.

M.J.D; “Poderosas maquinas, muitíssimo curiosas na sua estrutura, cruzavam os ares, em todas as direções.

RAMATÍS; Os veículos são amplos, de matéria semelhante ao plástico, porem muitíssimo mais resistente, suas cores são claras, translúcidas e radioativas à noite. Lembram flocos de luzes policromias. Alguns recordam conchas do mar, outros escrínios de jóias. Há ainda espécies artísticas, que imitam a silhueta do cavalo-marinho, mas a configuração tende, sempre, a copiar a imagem dos pássaros ou a estrutura delicada de um inseto. Todos possuem um campo magnético-radioativo que repele antes do choque qualquer ser ou corpo mesmo a uma centena de metros.

M.J.D; “Vi oceanos, apesar da água se me afigurar menos densa e esses mares muito pouco profundos. Afirmou-me o protetor que grande parte das águas desse planeta desaparece nas infiltrações do solo.”

RAMATÍS; A superfície liquida é muito menor que a solida, e suas águas se infiltram bastante no solo. Os mares são pouco profundos.

M.J.D; “Há ali um sistema de canalizações, mas não por obras de engenharia dos seus habitantes, e sim por uma determinação natural da topografia, que põem em comunicação continua todos os mares.”

RAMATÍS; Os famosos canais tratam-se de extenso sistema de canais naturais. Ligam os mares mediterrâneos aos pólos e alimentam a rede de canais suplementares, menores, que a engenharia marciana construiu para impedir a excessiva infiltração de águas no solo e alimentar as regiões áridas.

M.J.D; “Não vi montanhas, sendo notáveis as planícies imensas, onde os felizes habitantes desse orbe desempenham as suas atividades.”

RAMATÍS; Na topografia do orbe predominam as planícies, possibilitando visão ampla. A superfície marciana é quase plana, com raras elevações.

M.J.D; “Afirmou-me o desvelado mentor que a humanidade de Marte evoluiu mais rapidamente que a da Terra e que desde os pródomos da formação dos seus núcleos sociais, nunca precisou destruir para viver, longe das concepções dos homens terrenos cuja vida não prossegue sem a morte e cujos estômagos estão sempre cheios de vísceras de outros seres da Criação.”

RAMATÍS; São integralmente vegetarianos. Consolidaram sua civilização sempre distantes dos macabros banquetes de carne e vísceras sangrentas que formam a mórbida alimentação terrestre.

M.J.D; “Anos constam de 668 dias, tornando as estações mais demoradas, sem transformações bruscas climáticas que tanto prejudicam a saúde humana.”

RAMATÍS; As estações são mais longas e sem as violentas mutações da atmosfera terrestre.

M.J.D ; “Disse-me ainda o mestre desvelado que os marcianos já descobriram grande parte dos segredos das forças ocultas da natureza. Conhecem os profundos enigmas da eletricidade, sabendo utilizá-la com maestria.”

RAMATIS; Os habitantes de Marte dominam quase todas as forças ocultas da natureza e poucos são os problemas de ordem física que não encontram solução. Graças a descoberta da força magnética, os marcianos lograram progressos ainda inconcebíveis para o vosso mundo.

M.J.D; “Nas questões astronômicas são eminentemente mais adiantados que seus companheiros da Terra, compreendendo todos os fenômenos e a maior parte dos mistérios da natureza do vosso planeta.

RAMATÍS; Os astrônomos marcianos, através de seus poderosos telescópios “magnético-etéricos”, conseguem apreciar-vos alem de cem mil vezes! Contemplam todos os acidentes geográficos, mares, costas, vegetações, desertos, vales, crateras e montanhas, conhecem inúmeros fenômenos do vosso orbe e fixam também a sua aura psíquica, podendo concluir o estado emotivo e psíquico de vossa humanidade.

M.J.D; “Vi lá formidáveis aparelhos fotoelétricos que registram, com precisão matemática, a quase totalidade das expressões fenomênicas dos mundos que estão mais próximos desse orbe maravilhoso.”

RAMATÍS; Se os marcianos já não vos conhecessem pela “televisão interplanetária” e pela telefoto-visão, também duvidariam de vossas realidades.

M.J.D; “O que mais me admirou não foram as expressões físicas desse planeta, tão adiantado em comparação com o vosso.”

RAMATÍS; Tomando por base a cronologia do vosso calendário, pressupomos que os marcianos, em relação a vós, estejam adiantados moralmente um milênio; e mais ou menos cinco séculos no campo cientifico. Marte é um grau sideral a vossa vanguarda e é, também, a vossa futura realidade espiritual.

M.J.D; “Nele a sociedade está constituída de tal forma que as guerras ou os flagelos seriam fenômenos jamais previstos ou suspeitados. A vibração de paz e harmonia que ali se experimenta irradia aos corações felicidades nunca sonhadas na Terra. A mais profunda espiritualidade caracteriza essa humanidade, rica de amor fraterno e respeito ao Criador”.

RAMATÍS; Os marcianos vivem em harmonia constante com os valores estabelecidos pela inteligência suprema e não traçam divisões de momentos religiosos no interior dos tempos e momentos profanos na vida exterior. Os preceitos evangélicos, que para o vosso mundo ainda são excepcionais, em Marte são conceitos de vida comum.

Trabalho realizado por Marilea de Castro.